Publicidade   
   Publicidade   

Opinião de Graça AmiguinhoSentimos, à nossa volta, um remoinho de mentiras e meias verdades, que nos querem tapar os olhos, cegar a consciência, entorpecer o pensamento.

   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 
   Pub 

Estamos a tempo de repensar a educação que damos aos nossos filhos, os valores que transmitimos aos nossos alunos, sobre a forma de viver uma vida honesta, uma vida decente, uma vida sem mentiras, uma vida clara e transparente, como a luz.

Não é preciso ter grandes conhecimentos para nos apercebermos de uma realidade universal. Todos temos tendências para encobrir o que, na verdade, somos, tendências para encobrir as nossas fragilidades, tendências para querermos parecer o que, na verdade, não somos.

Verdade, Verdade, Verdade!

Viver com a Verdade debaixo do nosso travesseiro, pode causar incómodo, mas viver com a mentira, a falsidade e a arrogância, não acredito que dê sossego a ninguém.

Cada dia que passa, mais nos vamos apercebendo de que, para singrar na vida e alcançar lugares de prestígio e notoriedade, basta, muitas vezes, usar de habilidade, hipocrisia, disfarce e, com essas artimanhas, sobrepor-se aos competentes, aos honestos, aos discretos, aos humildes, aos parcos em palavras.

“Canto a minha terra, a minha gente! Este povo que amo , a terra arada, o sol ardente!”, Graça Foles Amiguinho
“Canto a minha terra, a minha gente! Este povo que amo, a terra arada, o sol ardente!”, Graça Foles Amiguinho

O móbil da mentira é, na maioria das vezes, o fator económico, a ganância para enriquecer, a qualquer custo, para ter o impossível, para chegar onde nunca teria acesso, usando as armas da maldade, do descaramento, da camuflagem, da ambição desmedida, em suma.

São mentes com um poder de imaginação prodigioso, que fabricam os cenários ideais, como se fizessem um filme, para neles desenrolarem toda a sua ação, sem deixarem rasto dos meios utilizados, para o conseguirem.

Essas mentes, mesmo sendo confrontadas com factos comprovados, insistem nas suas teorias e, como o povo diz, e com muita sabedoria “não desmontam do cavalo”.

Mais ainda, são jogadoras poderosas na manipulação de inocentes, fazem o ricochete das acusações que sobre elas recaem, para que tomem a direção de quem lhes convém atacar.

Fazem-no, com a maior desfaçatez, sem pejo, sem qualquer tipo de problema, como se estivessem imunes ao veneno da mentira que semeiam.

Qual o papel da educação no meio de tudo isto?

O ser humano, ao nascer, traz logo, consigo, as boas e más tendências, o seu lado bom e o outro, o lado perverso, o mau.

Cabe aos progenitores estarem atentos e, com a sua ação tentarem, da melhor forma, ao seu alcance, começando pelo seu próprio exemplo de vida, fazer crescer as boas inclinações dos seus filhos e fazer mirrar as tendências negativas.

Só com uma educação a sério, poderemos construir uma sociedade mais honesta, mais justa, mais coerente, mais capaz de lutar pela Verdade e combater a mentira, a corrupção, a maldade que cobre o mundo, estimulando e fazendo crescer, o respeito pelo seu semelhante.

“O mentiroso, mente uma vez, mente sempre. Ainda que diga a verdade, todos lhe dizem que mente.” Vale mais nunca arriscar na mentira!

 A Verdade, acima de tudo, doa o que doer.